Ambiente e Reciclagem

Nada se perde, tudo se transforma.

Novos veículos e reciclagem


Para que possam ser comercializados na União Europeia, os novos veículos têm que respeitar um vasto e rigoroso conjunto de normas que visam assegurar a minimização do Impacte Ambiental associado a todo o seu ciclo de vida. Em particular, no que respeita à fase de fim de vida dos veículos, estas normas visam evitar a utilização de substâncias perigosas e reduzir a quantidade de resíduos enviados para eliminação.


Assim, logo nas fases de concepção e produção dos novos veículos, é evitada a utilização de substâncias perigosas (p.e. mercúrio), são escolhidos materiais reciclados e/ou facilmente recicláveis, são rotulados alguns componentes para facilitar a sua separação/recuperação, é evitada a proliferação de materiais diferentes na mesma peça, etc.

Só desta forma os novos veículos poderão ser aprovados no âmbito do sistema comunitário de homologação, onde é necessário comprovar que são efectivamente valorizáveis a um nível mínimo de 85% do seu peso.


Onde entregar o seu Veículo em Fim de Vida (VFV)


Em Portugal, os Fabricantes/Importadores de veículos financiam a actividade da VALORCAR, uma empresa sem fins lucrativos que tem como missão organizar e gerir a recepção e a reciclagem dos VFV produzidos no país (de acordo com o Decreto-Lei n.º 196/2003).


Assim, os proprietários/detentores de um VFV devem assegurar a sua entrega, bem como os respectivos documentos, num centro de recepção/desmantelamento pertencente à REDE VALORCAR (www.valorcar.pt). Esta entrega é gratuita e o proprietário recebe em troca um certificado de destruição, que comprova que o VFV foi encaminhado para o local adequado e não foi abandonado.

O centro remete posteriormente às autoridades competentes os documentos e dados do VFV, para que sejam cancelados os respectivos registo e matricula.


Uma vez cumprida a componente administrativa, todos os VFV recebidos na REDE VALORCAR são submetidos a operações de despoluição, desmantelamento e fragmentação, a fim de garantir que a maioria dos seus componentes e materiais são encaminhados para reutilização ou reciclagem (óleos, vidros, pneus, bateria, metais, etc.).

Desde o ano de 2006, todos os VFV são valorizados em mais de 85% do seu peso.