Inovação

Mais pureza, maior redução, mais consistência: Os novos anéis da Audi

AM-11-16

 
A Audi representa Vorsprung durch Technik, para mobilidade inovadora. Uma promessa que os quatro anéis pretendem refletir através de um design inovador. Agora os traços característicos do veículo foram minuciosamente retrabalhados. Nesta entrevista, o designer André Georgi e o estratega da marca Frederik Kalisch explicam o que isso significa para a Audi agora que os seus veículos ostentam novos anéis.

 

Os quatro anéis são um dos identificadores mais importantes da marca Audi. Porquê a mudança agora, diretamente no próprio veículo?

Frederik Kalisch: Sendo uma marca premium inovadora, a Audi tem como público-alvo clientes modernos que valorizam design de alta qualidade e atenção aos detalhes. Existem atualmente apenas duas tendências básicas na apresentação de marca e design do produto que exprimem precisamente esta qualidade premium: isto é, por um lado, aqueles que são muito ousados, e, por outro, os sóbrios, puros e clean.

André Georgi: A abordagem purista está mais de acordo com a nossa filosofia. Uma coisa facilmente visível: Marcas fortes conquistam os clientes principalmente através dos seus produtos subjacentes à substância e elementos de identificação discretos. Na Audi, sempre foi este o caso, e agora estamos a fazê-lo de forma ainda mais consistente. A nossa filosofia é que cada detalhe deve transmitir um significado ou servir um objetivo. No produto, são, acima de tudo, os nossos quatro anéis indispensáveis na frente e na traseira de todos os modelos Audi, que fazem de um Audi um Audi. Queremos que a nossa qualidade fale através do design e do próprio produto. O novo aspeto bidimensional dá aos nossos anéis uma mudança de visual significativamente mais moderna e ainda mais gráfica, embora a sua geometria seja quase idêntica à dos anteriores.

 

Moderno, mas não da moda - essa é a afirmação da Audi. No entanto, os logótipos bidimensionais parecem ser a tendência atual. Que papel desempenha o zeitgeist no design?

Kalisch: Os anéis bidimensionais tiveram origem na Audi em 2016, como consequência da digitalização, essencialmente para retratar os anéis de uma forma que se adaptasse ao meio. A tridimensionalidade em ecrãs bidimensionais não teria satisfeito os nossos requisitos técnicos e estéticos. E por isso, optámos por um visual 3D. O logótipo da nossa marca é muito gráfico - o que é uma vantagem, uma vez que fica muito bem em duas dimensões. Para assegurar uma presença consistente da marca em todos os pontos de contacto com o cliente, nós coordenámo-nos com a equipa de design para dar início ao processo de redesenho dos anéis nos nossos veículos.

Georgi: A utilização de um logótipo bidimensional no exterior dos nossos veículos surgiu pela primeira vez em 2019. Tendo começado a ser usado na íntegra no início de 2020. A nossa visão é levar a identidade corporativa da área digital que acabamos de descrever até aos nossos veículos e padronizar a identificação dos veículos em todos os modelos. Queremos que os quatro anéis se pareçam os mesmos em todo o lado no futuro: Seja numa revista, num smartphone, ou num cartaz - e no veículo, dentro e fora do mesmo.

 

O que mudou exatamente em termos de design?

Georgi: O logótipo dos veículos é composto por três componentes. Estamos a mantê-lo sem cromados, com um look a preto e branco de alto contraste. É como se as argolas brancas marcantes fossem embutidas num corpo de vidro preto para dar uma luminosidade ainda maior. Ao iluminar oticamente o logótipo, o branco confere aos anéis um aspeto plano e de qualidade superior, que ainda permanece tridimensional nos detalhes.

 

Mas não é apenas o esquema de cores; a materialidade também é nova. Pode explicar em maior detalhe?

Georgi: Os anéis cromados de hoje significam elevada qualidade; só o material transmite essa mensagem. Mas acreditamos ter encontrado o "novo cromado": A clareza do novo preto e branco torna a nossa identidade corporativa inconfundível. A fina borda preta à volta dos anéis dá uma aparência consistente e de qualidade superior, independentemente da pintura do carro ou da cor da grelha do radiador. E os clientes podem continuar a optar pelos nossos novos anéis em preto. Esta variação substitui os anéis em branco com um cinzento-escuro que se parece com o preto high-gloss.

 

A partir de agora, todos os novos modelos Audi não só terão novos anéis, como também atualizaram o esquema de identificação dos veículos. Porquê?

Kalisch: Em 2020, a nossa equipa reelaborou a estratégia de marca e a identidade corporativa. Este trabalho conduziu à nossa nova estratégia de identificação de veículos, incluindo a visão de anéis bidimensionais nos nossos veículos. O esquema de identificação atualizado conjuga com a nossa nova estratégia de marca. O que significa mais discrição, mais sofisticação.

Georgi: Não se trata apenas da identificação do veículo se ter tornado mais premium; também uniformizámos as fontes dentro e no veículo. No futuro, os nossos modelos utilizarão apenas a fonte única da Audi, conhecida como "Audi Type". O tom neutro é significativamente mais contido sem comprometer a singularidade ou a qualidade. Neste momento, designámos o pilar B como o modelo detalhado, derivado, e elemento identificador de tecnologia. Esta designação deve-se ao facto de haver um design idêntico em todos os veículos: sempre duas partes em preto high-gloss e sempre no campo de visão dos passageiros ao entrar e sair. As letras no pilar B foram gravadas propositadamente tone-on-tone.

Kalisch: Para além de distrair do design dos nossos automóveis, identificadores demasiado notórios, provavelmente também não funcionariam para os nossos clientes contemporâneos e progressistas.

Georgi: A identificação e o design dos veículos, atualmente, funcionam como uma unidade que se alinha com o novo posicionamento da marca Audi.

 

Biografias

André Georgi estudou engenharia automóvel e completou uma segunda licenciatura em design de transportes. Começou a sua carreira na AUDI AG há mais de 20 anos. Durante os primeiros dez anos, Georgi trabalhou no departamento de Design Exterior, onde foi responsável pelos faróis dianteiros e traseiros. Mais tarde, chefiou o Design de Produto no Estúdio de Design, em Munique. Georgi tem estado envolvido no design de interiores desde 2017, liderando a equipa de Interface e supervisionando o redesenho dos anéis.

Frederik Kalisch estudou desenho industrial e iniciou a usa carreira com um estágio em estratégia de design. Depois de completar a sua licenciatura em estratégia de marca, Kalisch trabalhou externamente para a AUDI AG no departamento de Estratégia de Design. Em 2011, regressou à Audi para trabalhar como estratega de marca. Depois de trabalhar brevemente na equipa de Estratégia Empresarial Digital, Kalisch continuou o seu papel como estratega de marca em 2019. Atualmente, é responsável pela estratégia de nomeação e identificação para a gama de modelos existentes e futuros.